Avaliação Psicológica https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp A Revista Avaliação Psicológica publica trabalhos originais, preferencialmente relatos de pesquisa, mas também comunicações breves, artigos de revisão da literatura, notas técnicas e resenhas de livros importantes da área.<div id="kpm-root" class="kpm_LTR"> </div> pt-BR Avaliação Psicológica 1677-0471 <p>A Revista Avaliação Psicológica possui os direitos autorais de todos os artigos publicados por ela. A reprodução total dos artigos da Revista em outras publicações, ou para qualquer outro fim, por quaisquer meios, requer autorização por escrito do Editor. Reproduções parciais de artigos (resumo, <em>abstract</em>, <em>resumen</em>, mais de 500 palavras de texto, Tabelas, Figuras e outras ilustrações) deverão ter permissão por escrito do Editor e dos autores. Os autores concordam com a divulgação do resumo, <em>abstract</em> ou <em>resumen</em> por serviços de indexação e similares, a critério da Revista. Os direitos obtidos secundariamente não serão repassados em nenhuma circunstância.</p><div id="kpm-root" class="kpm_LTR"> </div> Adaptação Transcultural do Teacher's Rating Scale of Student's Actual Behavior: versão brasileira. https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/16020 Este estudo objetivou realizar a adaptação transcultural do Teacher's Rating Scale of Student's Actual Behavior (TRS) para o contexto brasileiro. O TRS é uma escala utilizada para avaliar a percepção que pais e/ou professores apresentam sobre as competências de crianças entre 8 a 12 anos. Foram realizadas cinco etapas metodológicas: tradução, síntese das traduções, tradução reversa (<em>back translation</em>), análise de comitê e pré-teste. Após todas as avaliações, a escala mostrou-se de fácil aplicação, bons níveis de aceitação e compreensão pela população-alvo, composta por 10 pais de crianças em um centro de referência à saúde da criança. O TRS-versão brasileira está adaptado no que se refere às equivalências semânticas, idiomáticas, conceituais e culturais. Ana Paula Pureza Pantoja Fernando Augusto Ramos Pontes Simone Souza da Silva Pontes Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Teste Informatizado e Dinâmico de Escrita: Evidências de validade baseadas na TRI https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/18908 <p>Este estudo objetiva buscar evidências de precisão e de validade com base na estrutura interna do Teste Informatizado e Dinâmico de Escrita, utilizando a Teoria de Resposta ao Item. Foram incluídos 304 participantes de Porto Alegre, entre 10 e 17 anos. Utilizou-se o TIDE, cujo objetivo é avaliar o potencial de aprendizagem em escrita narrativa de adolescentes. Verificou-se a dimensionalidade dos módulos em análise por meio de análise fatorial, satisfazendo critério para a realização das análises por meio da TRI. O módulo pré-teste foi ajustado para o modelo Logístico de dois parâmetros, com <em>Alpha de Cronbach</em> de 0,82. Todos os itens apresentaram valores adequados de discriminação, entre 1,88 e 3,49. A dificuldade dos itens variou de -0,01 a 1,27. O módulo instrucional foi ajustado pelo modelo de resposta gradual de Samejima, apresentando <em>Alpha de Cronbach</em> foi de 0,91. Observou-se, portanto, evidências de validade com base na estrutura interna do TIDE.</p> Léia Gonçalves Gurgel Livia Padilha de Teixeira Vanessa Kaiser Monica Maria Celestina Oliveira Caroline Tozzi Reppold Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Avaliação psicológica de crianças com suspeita de TEA: Perfil interativo dos avaliadores https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/19578 O objetivo deste estudo é o de investigar o perfil interativo dos avaliadores durante a hora lúdica diagnóstica na avaliação de crianças com suspeita de TEA. Participaram nove avaliadoras em interação individual com 22 crianças (de 24 a 74 meses), durante uma sessão de administração do Protocolo de Avaliação Comportamental para Crianças com Suspeita de TEA – Versão Revisada – Não Verbal (PROTEA-R-NV), que foi videogravada. Utilizou-se o Manual de Codificação dos Estilos Interativos do Avaliador, construído para este estudo. Dois juízes independentes e cegos aos objetivos do estudo registraram a ocorrência, a não ocorrência ou a não aplicação de três categorias de responsividade do avaliador: responsivo, diretivo e intrusivo. Os resultados demonstraram que as avaliadoras tenderam a adotar um estilo interativo Diretivo, seguido pelos estilos Responsivo e Intrusivo. Discute-se que as características da criança e o treinamento prévio das avaliadoras na administração do instrumento pode ter influenciado estes resultados. Gabriela Moreira Romeira Letícia Backes Schreiner Cleonice Alves Bosa Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Uma medida de satisfação com o relacionamento amoroso https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/18901 <p>Esta pesquisa teve o objetivo de adaptar para o contexto brasileiro uma escala mundialmente utilizada para avaliar satisfação com o relacionamento amoroso, por meio de dois estudos. No primeiro estudo, buscaram-se evidências de validade baseadas na estrutura unifatorial do instrumento e analisaram-se as propriedades dos itens de acordo com a teoria de resposta ao item. No segundo estudo, propôs-se uma versão revisada da escala, incluindo-se novos itens com parâmetros mais elevados de dificuldade. Análises fatoriais exploratórias e confirmatórias indicaram uma estrutura unifatorial também para o instrumento revisado. Ainda, encontraram-se relações, conforme esperado teoricamente, entre satisfação com o relacionamento e outras variáveis. Verificaram-se correlações positivas com outra medida de satisfação com o relacionamento e com amor romântico. Ambas as versões do instrumento apresentam satisfatórias evidências de validade e adequados índices de precisão, contudo, a versão revisada mostrou-se mais informativa, cobrindo uma maior porção do traço latente, comparada à versão original.</p> Amanda Londero-Santos Jean Carlos Natividade Terezinha Féres-Carneiro Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 ESCALA DISPOSIÇÃO À NOSTALGIA: DESENVOLVIMENTO E EVIDÊNCIAS PSICOMÉTRICAS https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/15974 O presente estudo teve como objetivo desenvolver a<em> Escala de Disposição à Nostalgia</em> (<em>EDN</em>), reunindo evidências de sua validade fatorial, validade convergente e consistência interna. Procurou-se reunir 20 itens que constavam na literatura ou foram elaborados com o fim de descrever vivências nostálgicas. Os participantes do estudo foram 208 estudantes universitários (M<sub>idade</sub> = 22,8; <em>DP </em>= 6,13; variando de 18 a 60 anos), a maioria do sexo masculino (50,7%), solteira (86,5%) e de classe social média (54,1%). Estes responderam aos itens iniciais da <em>EDN</em> e duas outras medidas que avaliam o mesmo construto: <em>Inventário de Nostalgia</em> (<em>IN</em>) e <em>Southampton Nostalgia Scale </em>(<em>SNS</em>), além de perguntas demográficas. Uma análise fatorial (<em>PAF</em>) foi realizada, identificando um fator geral que explicou 42,3% da variância total, apresentando precisão adequada (α = 0,84). Corroborando evidências de validade convergente, as pontuações da <em>EDN </em>se correlacionaram positivamente com as duas outras medidas de nostalgia (<em>IE </em>e <em>SNS</em>). Conclui-se que a <em>EDN</em> pode ser usada para avaliar a disposição à nostalgia, mostrando evidências psicométricas adequadas. Maria Gabriela Costa Ribeiro Valdiney Veloso Gouveia Alessandro Teixeira Rezende Gleidson Diego Lopes Loureto Lucas José Bacalhau Silveira Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Exercício Físico: compreendendo as razões para prática e seus desfechos psicológicos positivos https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/18940 <p>Pesquisas tem evidenciado o papel do exercício físico na promoção de saúde mental e no favorecimento de emoções positivas. Esta pesquisa propõe a avaliação das propriedades psicométricas do Inventário de Razão para o Exercício REI. Por meio da Análise Fatorial Confirmatória compararam-se os índices de ajustamento de modelos de medidas empregados para o REI na literatura, foram estimados indicadores de precisão e correlação com estado de <em>mindfulness</em> durante o exercício físico. Uma amostra de 206 praticantes (idade= 27,31±8,01, 50% mulheres), respondeu aos instrumentos. Os resultados indicaram melhores índices de ajustamento para o modelo composto por sete fatores (razões para a prática): controle de peso, condicionamento, humor, atratividade, saúde, tônus e divertimento, todos com bons indicadores de precisão. Verificou-se associação positiva moderada entre indicadores de <em>mindifulness</em> com as razões intrínsecas, humor e divertimento. Conclui-se que a versão brasileira do REI é uma medida adequada das razões para o exercício, correspondente a versão original.</p> Evandro Morais Peixoto Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 ENVELHECIMENTO E AFETIVIDADE A PARTIR DO TESTE DE PFISTER https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/19555 <p>O envelhecimento populacional demanda cuidados específicos a essa etapa do desenvolvimento. Esse trabalho objetivou descrever e comparar indicadores de vivências afetivas de idosos institucionalizados e não institucionalizados, a partir do Teste das Pirâmides Coloridas de Pfister (TPC), em relação a dados normativos disponíveis para a faixa etária. Foram individualmente avaliados 50 idosos (G1=25 institucionalizados; G2=25 não institucionalizados), idade média 73,6 (± 8,3 anos), de ambos os sexos, reduzida escolaridade (até oito anos de estudo) e nível econômico médio-inferior, voluntários do interior de São Paulo. Responderam a questionário sociodemográfico, Mini Exame do Estado Mental (MEEM) e TPC. As escolhas e síndromes cromáticas do TPC de G1 e G2 foram comparadas às normas (teste <em>t </em>de<em> Student, p</em>≤0,05, <em>d </em>de<em> Cohen</em>), identificando-se diferenças estatisticamente significativas apenas em G1 nas variáveis: azul, violeta, amarelo, marrom, cinza, Síndromes Estímulo e Incolor. Foi possível apontar particularidades nas vivências afetivas de idosos associadas à institucionalização.</p> Sonia Regina Regina Pasian Rafael Lima Dalle Mulle Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Evidências Adicionais de Validade da Escala de Satisfação no Trabalho https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/17426 <span>Este estudo objetivou identificar as propriedades da escala de satisfação no trabalho mais utilizada em amostras brasileiras em termos de sua estrutura, validade convergente e invariância da medida. Participaram da pesquisa 733 trabalhadores (46% mulheres) <span> </span>vinculados a organizações de dois estados brasileiros e de diferentes categorias profissionais. Foram comparados quatro modelos estruturais (cinco fatores correlacionados, cinco fatores não correlacionados, hierárquico e bifatorial). Os resultados apontam que a estrutura bifatorial com cinco variáveis latentes de primeiro nível mais uma variável geral também de primeiro nível é o modelo estrutural mais robusto para avaliar a satisfação de trabalhadores brasileiros. A medida também apresentou correlação positiva de moderada a elevadas com outras duas variáveis do comportamento organizacional e foi invariante para todos os grupos testados, tendo a possibilidade de aplicação em amostras com diversidade tempo de trabalho, nível de escolaridade e gênero.</span> Luara Carvalho Hudson Golino Luciana Mourão Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Batería de evaluación de cognición social en psicología forense: adaptación y validación https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/17545 <p>El objetivo del estudio fue adaptar y validar una batería para evaluar subdominios de la cognición social con población forense en Colombia y México a partir de una selección de instrumentos usados en neuropsicología clínica. Se revisó la pertinencia de los subdominios que componen la cognición social como evidencia de la validez de contenido mediante la valoración de diferentes psicólogos expertos en psicología forense, neuropsicología y medición y evaluación, usando el método ANGOFF modificado y un análisis de confiabilidad según el modelo Rasch y el coeficiente Alfa de Cronbach. Posteriormente, se sometió a pilotaje con 20 personas privadas de la libertad condenadas en cárceles colombianas y mexicanas. Se encontraron calibraciones INFIT 1.17 y 1.04, OUTFIT 1.08 y 1.18, con índices de separación de 2.66 y 1.63, una fiabilidad de .88 en colombianos y .73 en mexicanos; estos datos proporcionaron evidencia de la validez de la batería adaptada.</p> Carolina Gutierrez de Piñeres Bertha Lucía Avendaño-Prieto Blanca Susana Mejía-Vélez Luz Anyela Morales-Quintero Eric García-López Ronald Alberto Toro Tobar Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Avaliação informatizada em crianças: desenvolvimento do Teste de Avaliação das Funções Executivas https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/17491 <p>Funções executivas (FE) referem-se ao controle cognitivo que coordena comportamento e cognição. Emergem nos primeiros anos de vida e têm rápido crescimento na infância. Déficits em FE podem causar alterações em diversos desfechos, portanto, sua avaliação é fundamental. Este estudo objetivou desenvolver o Teste de Avaliação das FE (TAFE), instrumento informatizado para crianças de 4 a 10 anos, e fornecer evidências de validade e precisão. Foram conduzidas cinco etapas: 1) Definição teórica e metodológica; 2) Construção dos itens; 3) Estudo piloto; 4) Análise de juízes; e 5) Estudos iniciais de evidências de validade e precisão. As tarefas informatizadas mostraram-se adequadas para o público-alvo, de caráter lúdico e, conforme juízes, apresentaram validade de conteúdo. Houve correlações significativas entre as diferentes tarefas, incluindo memória de trabalho, inibição e flexibilidade, e precisão teste-reteste alta para a maioria das tarefas. Portanto, os resultados iniciais sugerem viabilidade para uso do TAFE no contexto brasileiro.</p> Glauce Karine Conti de Freitas Elage Alessandra Gotuzo Seabra Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Psicopatia e Autores de Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/17724 <p>O objetivo do presente estudo foi investigar traços de psicopatia em autores de violência sexual (AVS) contra crianças e adolescentes. Participaram 30 reeducandos cumprindo pena em regime fechado por crimes sexuais contra crianças e adolescentes, que foram divididos em dois grupos: G1, composto pelos AVS considerados psicopatas (PCL-R <span style="text-decoration: underline;">≥</span> 30); e G2, composto pelos AVS considerados não psicopatas (PCL-R &lt; 30). Para tanto, foi usado a escala <em>Psychopathy Checklist-Revised (PCL-R), </em>desenvolvida para avaliar traços de psicopatia em população forense masculina. Os dados coletados foram analisados por meio de estatística descritiva e comparativa. Os resultados apontaram diferenças significativas entre os grupos com relação ao tempo de pena, à quantidade de fuga e rebelião, assim como número de processos, número de vítimas e versatilidade criminal mostrando que os AVS psicopatas são mais indisciplinados e têm mais chances de reincidir criminalmente do que os não psicopatas, e que estes, comumente, costumam vitimizar mais pessoas e cometer uma maior variedade de crimes do que os não psicopatas.</p> Julia Nunes de Souza Teixeira Ana Cristina Resende Rodrigo Perissinotto Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Avaliação Psicológica: Interlocução entre a Pesquisa e a Prática Profissional https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/20084 <p align="justify">Resenha do Livro Compêndio de Avaliação Psicológica</p><p align="justify"> </p> Adriana Satico Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Avaliação psicológica e neuropsicológica em matemática: análise de publicações científicas (2013-2018) https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/18768 <p align="left">O presente estudo consiste na revisão de pesquisas que avaliam o desempenho e a compreensão da matemática, através de instrumentos psicológicos e neuropsicológicos, publicadas entre 2013-2018 nos bancos de dados <em>Scientific Electronic Library Online</em> (SciELO), Portal de Periódicos CAPES e Google Acadêmico. Foram analisados 41 artigos disponíveis em 25 periódicos, sendo 17 internacionais e oito nacionais. Os resultados indicaram um aumento e posterior declínio no número de publicações, sendo a maioria das pesquisas nacionais produzidas nas regiões Sudeste e Sul do Brasil. Quanto às pesquisas internacionais, foram identificadas em 10 países, com maior número de publicações nos Estados Unidos da América (EUA), Itália e Reino Unido. A avaliação de crianças foi predominante, com a maior parte dos estudos utilizando instrumentos já existentes para avaliação da matemática, com destaque para os subtestes do WISC-III, TDE e WJ-III. Sugerem-se novas pesquisas que desenvolvam e validem instrumentos para investigar habilidades matemáticas.</p> Janaina Gaia Ribeiro Dias Alanny Nunes de Santana Jessica Barbosa da Silva Sintria Labres Lautert Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1 Instrumento de Vigilância e Rastreio para Detecção de Atraso no Desenvolvimento Infantil em Formato de Aplicativo Móvel: Revisão da Literatura https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/18897 <p class="Pa24">Este estudo investigou o uso de instrumentos de monitoramento e rastreio para atraso do desenvolvimento infantil por meio tecnologia móvel através de uma revisão sistemática. Além disso, objetivou-se caracterizar as metodologias utilizadas, amostras de participantes, se clínicas ou não, contexto de pesquisa bem como a finalidade do uso instrumento. Foi realizada a busca de artigos, por três juízes, nas bases de dados indexadas na BVS, PUBMED/MEDLINE e APA PsyNET. Utilizaram-se as recomendações da Declaração <em>Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses </em>para essa revisão. A partir de critérios de inclusão/exclusão, foram recuperados e analisados seis artigos. Apenas um dos estudos não envolveu amostra clínica, três estudos com utilização de instrumentos de rastreio e três com instrumentos de vigilância, 5 realizados no contexto da saúde e 1 em universidade. Conclui-se que mais estudos sejam necessários, especialmente para avaliar o impacto do uso de instrumentos de monitoramento e rastreio para atraso no desenvolvimento infantil em formato de tecnologia móvel</p><p><em>Palavras-chave</em>: Desenvolvimento Infantil; Rastreio, Vigilância, m-Health</p> Flávia Monteiro Pereira Copyright (c) 2020 Avaliação Psicológica https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 20 1