Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A
  • 1

Diretrizes para Autores

I. Informações gerais

Os manuscritos devem ser enviados eletronicamente pelo site da Revista Brasileira de Psicodrama, no endereço http://submission-pepsic.scielo.br/index.php/psicodrama/login, e devem estar de acordo com as normas da Revista, baseadas no Manual de Publicação da American Psychological Association (APA), 6ª edição, 2012 (https://apastyle.apa.org/manual/).

Os manuscritos recebidos serão inicialmente verificados quanto a estrutura do texto e aderência à temática da revista. A seguir serão avaliados pelo sistema Similarity Check/iThenticate quanto ao seu conteúdo. Manuscritos que apresentarem problemas pontuais, tais como necessidade de referenciamento de citações, serão devolvidos aos autores para correção. Manuscritos que apresentarem conteúdo comprovadamente plagiado serão rejeitados. Se algum tipo de má conduta é identificado após publicação do artigo, a RBP publicará a retratação na mesma edição que contem o manuscrito.

Após estas etapas um dos Editores-Chefes encaminhará o manuscrito para o Editor de Seção que será responsável pela gestão da avaliação e decisão final sobre a publicação. A RBP adota o sistema double-blind peer review, que assegura o anonimato dos autores e dos avaliadores durante o processo de avaliação. É de responsabilidade dos autores que não haja elementos capazes de identificá-los em nenhuma parte do artigo. Os dados dos autores deverão ser fornecidos em campo específico do sistema, durante o processo de cadastramento.

O Editor de Seção encaminhará o manuscrito para 3 pareceristas ad-hocs que poderão rejeitá-lo, solicitar correções ou aprová-lo. Após o recebimento dos pareceres, o Editor de Seção solicitará as correções e ao receber a nova versão poderá enviá-la para outras rodadas de avaliação, aprová-la ou rejeitá-la. Durante todo o processo, os Editores-Chefes poderão ser consultados para apoiar a decisão do Editor de Seção, sempre que necessário.

Os autores receberão a decisão da publicação ou não de seu manuscrito e a data provável de publicação, quando for o caso. Nos casos em que os autores não concordarem com a decisão, deverão enviar um e-mail a um dos Editores-Chefes que analisará se a reclamação procede, podendo reverter a decisão ou não.

O corpo de revisores da RBP é composto por pesquisadores afiliados a instituições de ensino e pesquisa brasileiras e internacionais. Em 2018, o tempo médio para avaliação dos manuscritos até decisão final foi de 98 dias e para publicação de 34 dias (após a data de aceite) . Neste período 17% dos artigos foram recusados.

II. Passos para a submissão eletrônica

Ao iniciar o processo de submissão eletrônica, o autor deverá cadastrar-se no sistema para a submissão do manuscrito, bem como para o acompanhamento do processo editorial.

O processo editorial dos manuscritos somente será iniciado com a finalização do envio de todas as informações necessárias e com o cadastramento de todos os autores e de seus dados completos. Não será permitida a inserção ou remoção de autores após o envio do manuscrito. Os autores serão comunicados, por meio do e-mail cadastrado, sobre o recebimento do manuscrito.

PASSO 1: CADASTRO DO(S) AUTOR(ES) No início do processo de submissão eletrônica, as informações abaixo devem ser registradas:

• Todos os autores devem ser identificados com nome, ORCID, e-mail, afiliação institucional (nome das instituições por extenso, com 3 instâncias – por exemplo: Universidade/Faculdade/Departamento), cidade, estado e país. O autor correspondente deve ser identificado e deverá fornecer além das informações obrigatórias, o endereço postal completo.

• Título do manuscrito em português, inglês e espanhol (máximo de 12 palavras).

• Resumo em português, inglês e espanhol

• Palavras-chave em português, inglês e espanhol

PASSO 2: APRESENTAÇÃO FORMAL DO MANUSCRITO O manuscrito submetido a RBP) deve ser inédito, isto é, não ter sido publicado em outro veículo de divulgação (revista, livro etc.) nem ser simultaneamente submetido ou publicado em outro lugar, excetuando-se aqueles já apresentados em atividades científicas da Federação Brasileira de Psicodrama (FEBRAP) e de suas federadas, ou de instituições científicas ligadas às áreas de Saúde Mental, Educacional e Organizacional. Neste último caso, deverá ser inserida, na primeira página do manuscrito, uma nota de rodapé com a informação a respeito de onde ele foi apresentado. As opiniões emitidas nos trabalhos, bem como a exatidão e a adequação das referências, são de exclusiva responsabilidade dos autores. Os manuscritos devem seguir as instruções constantes do modelo normativo da American Psychological Association (APA), 6ª edição, 2012, no que diz respeito ao estilo de apresentação do manuscrito.

A cópia do parecer do Comitê de Ética em Pesquisa, quando pertinente, deve ser encaminhada na submissão do manuscrito. Sem esse documento, nos casos em que for necessário, o processo editorial não será iniciado. Excetuam-se situações específicas nas quais haja conflito com a necessidade de assegurar o cumprimento da revisão cega por pares, das regras do uso da língua portuguesa ou de procedimentos internos da RBP.

III. Tipos de manuscrito

Serão aceitos para avaliação, devendo ser informado no momento da submissão, manuscritos dos tipos:

Artigo original, Artigo de revisão e Comunicação breve. Estes devem estar em formato “.doc”, utilizando fonte Times New Roman, tamanho 12, ao longo de todo o manuscrito, incluindo referências, notas de rodapé, tabelas, etc. Utilizar margens de 2,5 cm em todos os lados (superior, inferior, esquerda e direita) e espaçamento duplo. Os manuscritos não podem exceder o número máximo de páginas (iniciando-se o resumo como página 1) indicado para cada tipo. A contagem das páginas deve incluir título, resumo e palavras-chave, abstract e keywords, resumen e palabras clave, figuras, tabelas, anexos e referências, além do corpo do texto.

Artigo original (15 a 25 páginas): relatos de alta qualidade de pesquisas originais, baseadas em investigações sistemáticas e completas.

Artigo de revisão (15 a 25 páginas): artigos teóricos ou de revisão com análise crítica e oportuna de um corpo abrangente de investigação, relativa a assuntos de interesse para o desenvolvimento do Psicodrama, preferencialmente em uma área de pesquisa para a qual o(s) autor(es) contribui(em).

Comunicações breves (8 a 10 páginas): relatos breves de pesquisa ou de experiência profissional com evidências metodologicamente apropriadas; textos que descrevem novos métodos ou técnicas serão também considerados.

IV. Preparação do manuscrito

Estrutura do manuscrito

Sempre que possível, os manuscritos devem apresentar as subseções abaixo. Entretanto artigos de algumas áreas podem ter seu formato habitual. Para diferenciar as subseções, devem ser utilizados estilos diferentes.

Título: O título deve ser informado em português, inglês e espanhol (máximo de 12 palavras) e não deve conter abreviações.

Resumos em português, inglês e espanhol: devem conter parágrafos com, no máximo, 120 palavras (artigos originais e de revisão) ou 80 palavras (comunicações breves), com o título “Resumo” escrito centralizado na primeira linha. Ao fim do resumo, devem ser listadas pelo menos três e no máximo cinco palavras-chave (em letras minúsculas e separadas por vírgula), para a indexação do texto. As palavras-chave devem ser escolhidas com precisão adequada para fins de classificação, permitindo que o artigo seja recuperado junto com obras similares. Os resumos em inglês (abstract) e em espanhol (resumen) devem ser fiéis ao resumo em português, porém não uma tradução “literal”. Ou seja, a tradução deve preservar o conteúdo do resumo, mas também adaptar-se ao estilo gramatical correspondente. A RBP, como procedimento-padrão, fazer a revisão final do abstract e do resumen, reservando-se o direito de corrigi-los, se necessário. O abstract e o resumen devem ser seguidos, respectivamente, das keywords e das palabras clave.

Corpo do texto: as subseções do corpo do texto não começam cada uma em uma nova página, e seus títulos devem estar alinhados à esquerda e em letra maiúscula (por exemplo, RESULTADOS, MÉTODO e DISCUSSÃO, em artigos empíricos). Os subtítulos das subseções devem estar com a primeira letra maiúscula (por exemplo, os subtítulos da subseção MÉTODO: Participantes, ou Análise dos dados). Sublinhados, itálicos e negritos: italize palavras ou expressões que devam ser enfatizadas no texto, por exemplo, estrangeirismos, como self, locus etc., e palavras que deseje grifar. Não utilize (exceto nas situações em que é requerido pelas normas de publicação) negrito, sublinhados, marcas d’água ou outros recursos. A citação deve ser indicada no texto pelo sistema autor-data. O sobrenome do autor deve ser grafado com apenas a primeira letra em maiúscula, tanto no corpo do texto como entre parênteses: “Damásio (1975)” ou “(Damásio, 1975)”. Todos os estudos citados no texto devem ser listados na seção de referências.

Referências: apenas as obras consultadas e mencionadas no texto devem aparecer nesta seção. Deve ser utilizado espaço duplo, com espaço extra entre as referências. As referências devem ser citadas em ordem alfabética pelo sobrenome dos autores, de acordo com as normas APA. O recurso tipográfico itálico é utilizado para destacar o elemento título da publicação e deve ser uniforme em todas as referências de um mesmo documento. Em casos de referência a múltiplos estudos do(s) mesmo(s) autor(es), deve-se utilizar ordem cronológica, ou seja, do estudo mais antigo ao mais recente. É obrigatório a busca e inserção do DOI em cada referência citada.

Anexos: devem ser evitados e apenas ser incluídos se contiverem informações consideradas indispensáveis, como testes não publicados ou descrição de equipamentos ou materiais complexos. Os Anexos devem ser apresentados cada um em uma nova página e ser indicados no texto e apresentados no final do manuscrito, identificados pelas letras do alfabeto em maiúsculas (A, B, C, e assim por diante), se forem mais de um.

Notas de rodapé́: devem ser evitadas sempre que possível. No entanto, se não houver outra possibilidade, devem ser indicadas por algarismos arábicos no texto e apresentadas na mesma página a que se referem suas remissões numéricas. As referências dos autores citados no texto devem ser apresentadas no final do texto, e não em notas de rodapé.

Tabelas: devem ser elaboradas em Word (.doc) ou Excel. No caso de apresentações gráficas de tabelas, devem ser usadas, preferencialmente, colunas, evitando-se outras formas de apresentação como pizza etc. Nessas apresentações, cores devem ser evitadas. A palavra Tabela é alinhada à esquerda na primeira linha abaixo do cabeçalho e seguida do seu número correspondente. Dê um espaço duplo e digite o título da tabela à esquerda, em itálico e sem ponto final, sendo maiúscula apenas a primeira letra da primeira palavra. As tabelas não devem exceder 17,5 cm de largura por 23,5 cm de comprimento.

Figuras: devem ser do tipo de arquivo JPG, com 300 dpi de resolução. Não devem exceder 17,5 cm de largura por 23,5 cm de comprimento. A palavra Figura é alinhada à esquerda na primeira linha abaixo do cabeçalho e seguida do número correspondente à figura. Deve ser dado um espaço duplo e digitado o título da figura à esquerda, em itálico e sem ponto final, sendo maiúscula apenas a primeira letra da primeira palavra. As palavras Figura, Tabela e Anexo que aparecerem no texto devem, sempre, ser escritas com a primeira letra maiúscula e devem vir acompanhadas dos respectivos números (para Figuras e Tabelas) ou letra (para Anexos) aos quais se referem. A palavra Figura deve ser escrita como Fig., exceto no inicio de uma frase.

Contribuição dos autores: A Revista Brasileira de Psicodrama (endossa a taxonomia do CRediT para os papéis dos contribuintes e encoraja os autores a usar essa taxonomia ao fornecer uma seção de Contribuição dos Autores para seus manuscritos. Após aprovação do artigo, a equipe de editoração da revista irá solicitar a identificação da contribuição de cada autor. Agradecimentos: Nesta seção devem ser reconhecidos pessoas ou instituições que apoiaram a pesquisa utilizada no artigo.

Fontes de financiamento: Nesta seção devem ser citadas as instituições que financiaram a pesquisa que originou a publicação e o tipo e número do benefício (Bolsas e Grants).

Normas para as citações:

• Citação direta ou textual com menos de 40 palavras: devem ser incorporadas no parágrafo do texto, entre aspas. O texto reproduzido deve aparecer entre aspas duplas, com indicação do(s) autor(es), da(s) página(s) e referência à obra consultada. Exemplo: - De acordo com Bruno (2001) “a citação deve reproduzir o fraseado, a ortografia e a pontuação interna da fonte original, mesmo quando a fonte contém erros” (p. 112).

• Citação direta ou textual com 40 palavras ou mais: deve aparecer sem aspas em um parágrafo no formato de bloco, com cada linha recuada cinco espaços da margem esquerda. Exemplo: - Castro (2001) explica que: vocabulários estruturados são coleções de termos, organizadas segundo uma metodologia na qual é possível especificar as relações entre conceitos com o propósito de facilitar o acesso à informação. Os vocabulários são usados como uma espécie de filtro entre a linguagem utilizada pelo autor e a terminologia da área e também podem ser considerados como assistentes de pesquisa, ajudando o usuário a refinar, expandir ou enriquecer suas pesquisas, proporcionando resultados mais objetivos. (p. 51)

• Para citações com mais de 500 palavras, reprodução de uma ou mais figuras, tabelas ou outras ilustrações devem ser buscada qual o tipo de licença é adotada pela publicação original e deve-se solicitar, se for o caso, a permissão escrita do detentor dos direitos autorais do trabalho original para a reprodução (casos em que os direitos autorais são da revista ou congresso). A permissão deve ser endereçada ao autor do trabalho submetido, que deve encaminhar uma cópia desta acompanhando o manuscrito. A citação direta deve ser exata, mesmo se houver erros no original. Se isso acontecer e correr o risco de confundir o leitor, deve-se acrescentar a palavra [sic], em itálico e entre colchetes, logo após o erro. Omissão de material de uma fonte original deve ser indicada por três pontos, separados por espaços, “. . .”. A inserção de material, como comentários ou observações, deve ser feita entre colchetes. A ênfase em uma ou mais palavras deve ser feita com fonte em itálico, seguida de [itálico nosso].

• Citação de citação: deve apresentar a expressão “citado por” para identificar a fonte secundária que foi efetivamente consultada.

Exemplo:

- Para Matos (1990, citado por Bill, 1998), ou Para Matos (1990), citado por Bill (1998)

• Citação de depoimentos ou entrevistas: as falas devem ser apresentadas em itálico e sua forma deve seguir as orientações para citação textual.

Exemplos:

- Citação no próprio parágrafo do texto: Indagados sobre a qualidade dos seus cursos de graduação, cerca de 70% dos entrevistados afirmam ser insuficiente. O entrevistado 2, por exemplo, afirma que “a graduação foi insuficiente, não tem condições de formar para a prática. É necessária uma formação generalista e um pensar crítico”.

- Citação com 40 ou mais palavras: A Psicologia, enquanto um campo novo de atuação profissional, desconhecido por muitos e agravado pela já aludida deficiência teórico-técnica da sua formação básica, muitas vezes leva ao trabalho em condições precárias. Veja-se, a título de ilustração, o que diz o entrevistado 9: Não tinha nenhuma motivação para trabalhar em hospital, não. Nunca pensei em trabalhar em hospital. . . . Trabalhava no interior e pedi transferência. Depois de muita batalha, consegui. Quando cheguei aqui, me colocaram quatro opções de trabalho, cada uma mais complicada que a outra. Foi difícil no começo.

• Citação com dois autores: deve ser apresentada pelos sobrenomes dos autores ligados por & quando colocados entre parênteses; quando citados no texto devem ser ligados por “e”, seguidos do ano da publicação.

Exemplos:

- Autores como parte do texto: Conforme destacam Valls e Vergueiro (1998) a aplicação de conceitos de gestão de qualidade em serviços de informação passam, necessariamente, pela variável: identificação das necessidades dos clientes.

- Autores não fazem parte do texto: A aplicação de conceitos de gestão de qualidade em serviços de informação passa, necessariamente, pela variável: identificação das necessidades dos clientes (Valls & Vergueiro, 1998).

• Citação com três a cinco autores: quando aparecem pela primeira vez no texto, são citados todos os autores. Nas citações seguintes, coloca-se o sobrenome do primeiro autor seguido da expressão “et al.”

Exemplos:

- Autores como parte do texto (na primeira vez em que aparecem no texto): Lotufo Neto, Yacubian, Scalco e Gonçalves (2001) afirmam que as pessoas com depressão sofrem muito e procuram a ajuda de profissionais da saúde, porém estes raramente identificam o problema. A partir da segunda vez em que aparecem no texto: Lotufo Neto et al. (2001) afirmam que...

- Autores não fazem parte do texto (na primeira vez em que aparecem no texto): As pessoas com depressão sofrem muito e procuram a ajuda de profissionais da saúde, porém estes raramente identificam o problema (Lotufo Neto, Yacubian, Scalco & Gonçalves, 2001). A partir da segunda vez em que não aparecem no texto: ... (Lotufo Neto et al., 2001).

• Citação com seis ou mais autores: indicar apenas o primeiro autor, seguido da expressão “et al.” Nas referências, mencionar até sete autores, na ordem em que aparecem na publicação. Se o número de autores for oito ou mais, citar o nome dos seis primeiros, inserir três pontos e adicionar o nome do último autor.

• Citação de vários autores a uma mesma ideia: citar os autores obedecendo à ordem alfabética de seus sobrenomes.

• Citação de autores com o mesmo sobrenome: a sequência das citações deve ser em ordem alfabética dos prenomes dos autores. Se mesmo assim houver coincidências, colocam-se os prenomes por extenso.

• Citação de canais informais (aula, conferência, e-mail etc.): citam-se as comunicações pessoais apenas no texto, fornecendo as iniciais, o sobrenome do comunicador e uma data mais exata possível.

• Citação de obras antigas e reeditadas: cita-se primeiramente a data da publicação original, separada por barra da data da edição consultada.

Exemplo:

- O “Mal-estar na civilização” aborda o sofrimento humano através da análise da origem da dor. Freud (1930/1979) argumenta que a dor originada do corpo é combatida pela química, a originada do desejo insatisfeito é a dor proveniente das nossas relações com os outros, a que mais fere.

• Citação de trabalhos em vias de publicação (no prelo): cita-se o nome do autor e coloca-se a expressão “no prelo” entre parênteses.

Exemplos:

- Como diz Sampaio (no prelo) a citação, além de fazer justiça ao autor, confere credibilidade ao autor do texto...

- A citação, além de fazer justiça ao autor, confere credibilidade ao autor do texto... (Sampaio, no prelo).

Observação: Caso o texto redigido esteja em inglês, utiliza-se a expressão “in press”.

• Citação de Homepage ou Website: deve-se citar o endereço eletrônico, após a informação. Exemplo: - Retirado de http://www.usp.br/sibi

• Citação de obras clássicas:

Exemplos:

- Autor como parte do texto: Homero exulta o povo “Bravos, meus filhos! Vigiai, sempre assim; que ninguém ceda ao sono . . .” (Ilíada, X, 173).

- Autor não faz parte do texto: “Bravos, meus filhos! Vigiai, sempre assim; que ninguém ceda ao sono . . .” (Homero, Ilíada, X, 173).

• Citação textual de versos - edição original: “Non iam coniugium . . .” (Vergílio, Eneida, IV, 431-434). Observação: Nas citações seguintes, se feitas na mesma página, indicar apenas o número do livro ou canto e do(s) verso(s), ou número das páginas, conforme o caso.

• Citação com omissão de parte do texto: devem-se usar reticências (separadas por espaços) numa oração para indicar omissão de material na fonte original. Use quatro pontos para indicar omissão entre duas orações, o primeiro ponto indica o final da primeira oração e os outros pontos reticências. Não usar reticências no início ou no fim das citações.

Exemplo:

- De acordo com Chauí (1996) em nossa sociedade, a memória é valorizada e desvalorizada. É valorizada com a multiplicação dos meios de registro e gravação dos fatos, acontecimentos e pessoas (computadores, filmes, vídeos, fitas cassetes, livros) e das instituições que os preservam (bibliotecas, museus, arquivos). . A desvalorização da memória aparece, por fim, no descaso pelos idosos, considerados inúteis e inservíveis em nossa sociedade (pp. 127-128).

• Destaques do texto: destacar os trechos indicando a alteração com a expressão “itálicos nossos”, entre colchetes, logo após a idealização da citação. Exemplo:

- Skinner criticou a sociedade capitalista dos países desenvolvidos (1986, itálico nosso).