A relação entre subjetividade e psicologia: uma reflexão Heideggeriana

Autores

  • Jena Hanay Araújo de Oliveira Universidade Federal do Maranhão
  • Jadson Santos UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

DOI:

https://doi.org/10.26823/rnufen.v15i03.24070

Resumo

Esse ensaio discute a relação entre a subjetividade e a ciência psicológica. Propõe-se um debate em três seções: a
primeira busca pensar a gênese da Psicologia como uma disciplina científica e sua procura por um objeto privativo,
justificando sua própria existência como ciência de rigor; a segunda já traz a noção de subjetividade como um termo
carregado de estigmas intrapsíquicos e naturalizantes, se tornando um problema entre as diferentes abordagens
psicológicas e epistemologias em ciências humanas sobre que noção de subjetividade seria possível; a terceira fomenta
uma reflexão a partir da obra do filósofo Martin Heidegger sobre a relação entre o conceito de subjetividade a partir
da analítica existencial e as intersecções com a ciência psicológica, convergindo a noção de subjetividade com suas
dimensões processuais, culturais e históricas nas concepções de ente humano e como a subjetividade pode vir a
compor um objeto de estudo apropriado para a Psicologia.

Referências

Araujo, S. de F. (2009). Uma visão panorâmica da psicologia científica de Wilhelm Wundt. Sci. stud., (7), 2, 209-220, jun. Recuperado em 18 de julho de 2017, de http://www.scielo.br/.

Bock, A. M., Furtado, O., & Teixeira, M. L. (2001). Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia. (13a ed.). São Paulo: Saraiva.

Cardoso, C. de R. D., & Massimi, M. (2013). Fundamentação da Psicologia como Ciência da Subjetividade: contribuições da fenomenologia de Edith Stein. In Mafoud, M., & Massimi, M. (Orgs.). Edith Stein e a Psicologia: teoria e pesquisa. Belo Horizonte: Artesã.

Cella, J. R., & Wojciechowski, P. (2011). A crise da razão no século XX e os discursos de legitimação dos direitos humanos. Revista Brasileira De Direitos Fundamentais & Justiça, (5), 14, 160-192.

Deleuze, G., & Guattari, F. (2005). Foucault. (M. C. Sant’Anna, Trad.). São Paulo: Brasiliense.

Descartes, R. (2001). Discurso do Método. (M. E. Galvão, Trad.). (3a ed.). São Paulo: Martins Fontes.

Dilthey, W. (2010). Introdução às Ciências Humanas: tentativa de uma fundamentação para o estudo da sociedade e da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Feijoo, A. M. L. C. de. (2011). A crise da subjetividade e o despontar das psicologias fenomenológicas. Psicol. estud., (16), 3, 409-417, set.

Ferrarini, N. da L., & Camargo, D. de. (2014) O professor de psicologia diante da multiplicidade e diversidade teórica da psicologia: lugar de incertezas e de desafios. Psicologia: Ensino & Formação, (5), 1, 32-49.

Figueiredo, L. C. M. (2007). A invenção do psicológico: quatro séculos de subjetivação 1500-1900. (7a ed.). São Paulo: Escurta.

Figueiredo, L. C. M. (2008). Matrizes do pensamento psicológico. (14a. ed.) Petrópolis: Vozes.

Figueiredo, L. C. M. (1991). Psicologia, uma introdução: uma visão histórica da Psicologia como Ciência. São Paulo: Educ.

Heidegger, M. (2009). Ser e tempo. (4a ed.). Petrópolis: Editora Vozes.

Heidegger, M. (2003). A caminho da linguagem. Petrópolis: Vozes.

Horkheimer, M. (2007). Eclipse da razão. (7a ed.). São Paulo: Centauro.

Horkheimer, M. (2003). Teoria Crítica. (1a ed., 3. reimp.). Buenos Aires: Amorrortu.

Husserl, E. (2008). A crise da humanidade européia e a filosofia. (3a ed.). Porto Alegre: EDlPUCRS.

Lane, S. T. T. (1985). Revendo a prática da Psicologia Social. Psicol. Cienc. prof., (5), 1, 20-21. Recuperado em 18 de julho de 2017, de http://pepsic.bvsalud.org/.

Lessa, J. (2011) Curso de análise existencial: princípios fundamentais de uma prática psicoterápica com bases fenomenológico-existenciais. (Tese de Doutorado). Universidade Federal Fluminense, RJ.

Oliveira, A. L. de, & Trindade, E. (2015). Apontamentos acerca da subjetividade e dos processos de subjetivação no mundo contemporâneo e suas repercussões na clínica psicoterápica. Rev. Psicol. Saúde, (7), 1, 30-38, jun.

Prado Filho, K., & Martins, S. (2007). A subjetividade como objeto da(s) psicologia(s). Psicol. Soc., (19), 3, 14-19, dec. Recuperado em 17 de julho de 2017, de http://www.scielo.br/.

Rosa, C. A. de P. (2012). História da Ciência. (2a ed.). Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão.

Silva, F. G. da. (2009). Subjetividade, individualidade, personalidade e identidade: concepções a partir da psicologia históricocultural. Revista Psicologia da Educação, (28), 169-195.

Tinti, R. O. (2011). Sobre a subjetividade: do animal racional ao ser-aí. Rev. acadêmica de Educação do ISE Vera Cruz, (1), 2. Recuperado em 18 de julho de 2017, de http://iseveracruz.edu.br/.

Downloads

Publicado

2023-12-20

Como Citar

Hanay Araújo de Oliveira, J., & Santos, J. (2023). A relação entre subjetividade e psicologia: uma reflexão Heideggeriana. REVISTA DO NUFEN: PHENOMENOLOGY AND INTERDISCIPLINARITY, 15(03). https://doi.org/10.26823/rnufen.v15i03.24070