Validade Discriminante entre Regulação Emocional e Resiliência

Autores

  • Angélica Maria Ferreira de Melo Castro UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO http://orcid.org/0000-0001-6138-7198
  • José Maurício Haas Bueno UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
  • Mirela Dantas Ricarte UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
  • Emily Souza Gaião e Albuquerque UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

Palavras-chave:

regulação emocional, resiliência, validade discriminante

Resumo

Resiliência e regulação de emoções são construtos psicológicos, cujas operacionalizações nunca foram investigadas quanto à independência mútua. Por isso, objetivou-se buscar evidências de validade discriminante entre medidas de resiliência e de regulação emocional. Para isso, foram aplicadas versões online do Inventário de Competências Emocionais (ICE-R) e da Escala de Resiliência para Adultos (RSA), em 169 participantes, com média de idade de 29,8 anos, sendo 65,7% do sexo feminino. Os resultados de uma análise fatorial exploratória, revelaram que os fatores primários de resiliência e regulação de emoções tendem a se agrupar em fatores de segunda ordem distintos. Ainda que a “percepção de si” tenha apresentado carga nos dois fatores de segunda ordem, tais resultados sugerem que as medidas são predominantemente independentes entre si.

Publicado

2018-04-15

Como Citar

Castro, A. M. F. de M., Bueno, J. M. H., Ricarte, M. D., & Albuquerque, E. S. G. e. (2018). Validade Discriminante entre Regulação Emocional e Resiliência. Avaliação Psicológica, 16(2). Recuperado de https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/12378

Edição

Seção

Estudo Teórico

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)