Medindo a autoestima dos adolescentes espanhóis: equivalência através de gênero e níveis educativos

Autores

  • Jose M. Tomas Universitat de Valencia
  • Patricia Sancho
  • Laura Galiana
  • Amparo Oliver
  • Pedro Hontangas

Palavras-chave:

rotina de equivalencia, escala de autoestima de Rosenberg, diferenças de gênero e nível educativo

Resumo

A escala de autoestima de Rosenberg (RSES) já foi aplicada em todas as áreas da Psicología, destacando o interesse pelo estudo das diferenças de gênero e nível educativo. Paralelamente, houve um debate metodológico sobre suas propiedades psicométricas: a evidência assinala que mede apenas um fator de autoestima, mas confundido com um efeito de método associado a itens invertidos. O objetivo deste estudo é examinar as diferenças em gênero e nível educativo da RSES, controlando pela presença de efeitos de métodos em estudantes espanhóis. Foi estimado um modelo completamente a priori em quatro amostras: estudantes homens e mulheres de institutos e de universidades, e se implementou uma rotina completa de equivalência fatorial.   As conclusões são que a escala mede de forma adequada nas quatros amostras, e  que não houve diferenças nas médias latentes em função do gênero ou nível educativo

Biografia do Autor

Jose M. Tomas, Universitat de Valencia

Catedrático del Departamento de Metodología de las Ciencias del Comportamiento, Facultad de Psicología, Universitat de Valencia

Amparo Oliver

Catedrática Metodología de las CC del Comportamiento, Universitat de Valencia, España

Pedro Hontangas

Prof. Titular Metdología, Universitat de Valencia

Publicado

2016-10-14

Como Citar

Tomas, J. M., Sancho, P., Galiana, L., Oliver, A., & Hontangas, P. (2016). Medindo a autoestima dos adolescentes espanhóis: equivalência através de gênero e níveis educativos. Avaliação Psicológica, 14(3). Recuperado de https://submission-pepsic.scielo.br/index.php/avp/article/view/10396

Edição

Seção

Relato de Pesquisa